18 de maio de 2009

Coroa do Absurdo

Como pode o Um ser Dois?

De Um surge a Alegria, surge a Dor!

De Um surge o Melhor, surge o Pior!

De Um surge o Amor, surge o Ódio!

De Um surge o Bem, surge o Mal!

Eis como é a existência!

Este paradoxo absurdo que humilha a razão,

Eis que amei o Absurdo desde o primeiro,

Desde o primeiro dia, desde o primeiro momento.

E ele é fonte de minha alegria, de meu tormento.

A ele entreguei meu Entendimento, meu coração!

Infeliz é aquele que nasceu, em vez de simplesmente,

De simplesmente ser um nada!

Ohhh, faustivo Não-Ser!

Absoluto em si, não sabe o que é alegria, não sabe o que é dor!

Não conhece e nunca conhecerá a Bipolaridade.

Coroa do Absurdo da Plenitude do Ser!

Constantin Constantius

3 comentários:

Rafaela Figueiredo disse...

é verdade!
ainda bem que nós somos assim, tão dúbios/metamorfoseáveis, né?! :)

beijo

Val Schilling disse...

a colocação que tu faz é realmente incrível, a maioria dos homens acha que sofrer e se decepcionar é o pior martírio da vida, quando na verdade são esses sentimentos todos que nos fazem realmente nos sentirmos vivos.

Parabéns! muito bom, gostei muito...
quando puder passe no meu blog, postei coisas novas!

http://filosofaleiga.blogspot.com/

grande beijo!

Alan Silva disse...

Muito bom Constantin, de onde surge um surge dois... do ócio surge a tristeza e surge também as idéias mais profundas!

Abraço


Goiânia